Restaurante L’Appart – Hotel Tiara Park Atlantic

A propósito da última Restaurant Week Lisboa tivemos a oportunidade de conhecer o Restaurante L’Appart, situado no Hotel Tiara Park Atlantic. É um desses restaurantes de Lisboa que tínhamos na lista de “pendentes”!

l_appart

Como chegar
Está situado numa zona central, a uns 400 metros da estação do Marquês de Pombal (linha azul do metro), no edifício do Hotel Tiara Park Atlantic Lisboa.
Morada:
Rua Castilho 149
Preço:
Almoço: 30€ p/pessoa. Jantar: 50€ p/pessoa
Página web:
Oficial
Reservas:
 BestTables
Horário:
Pequeno-almoço: 07h00 – 10h30. Almoço: 12h30 – 15h00. Jantar: 19h30 – 23h00

O que diferencia este hotel de muitos outros da sua categoria é, sem dúvida, o talento do seu Chef: Eddy Melo. Oriundo dos Açores, possui mais de 35 anos de experiência, dos quais cerca de 20 ao serviço deste restaurante (após ter estado no Quebec, Canadá). Tudo isto para argumentar que sim, o nosso paladar notará o poder da experiência!

No que diz respeito a entradas, a nossa escolha consistiu numa ementa tanto proteica e saudável, abrindo o apetite com uma elaborada entrada de slow cooking de Rabo de Novilho Angus à moda da Terceira, numa filhós feita no forno, acompanhada por uma salada de endívias e maçã verde. Este prato fez recordar o hamburger de rabo de boi de Dani García: só que melhor. O aroma era irresistível: supõe-se que as 6 horas de cocção lenta serão parte do segredo do Chef. Partilhamos abaixo uma foto do prato… o resto fica na vossa imaginação:

rabo de novillo

Completamente diferente desta primeira, a outra entrada consistiu num refrescante creme de pepino frio com camarão: para quem goste de iguarias frias como gaspacho, esta é uma óptima e saborosa alternativa, sobretudo nestes dias de calor que aí vêm. (clique aqui para uma foto).

No que diz respeito a pratos principais, fomos apanhados de surpresa. Isto porque o Chef Melo, tal como esclareceu posteriormente, insiste em apostar numa ementa de componentes aparentemente simples mas de muito boa qualidade, e surpreender através da originalidade da mistura de sabores. E há que dizê-lo, consegue-o e de que maneira!

Um dos pratos foi um fettuccine de beterraba fresca com queijo de cabra e pato confitado (em toda a sua glória na imagem abaixo). Novamente, o slow cooking a fazer das suas. Como se o contraste entre o doce da beterraba e o queijo de cabra fosse ficar aquém das expectativas, eis que são acompanhados com um prato confitado que demora, pelo menos, umas 3 horas de cocção! Um prato com texturas e sabores distintos e onde é possível não só saborear o todo, como apreciar cada ingrediente no seu contexto.

O outro prato principal foi um lombo de atum rabilho sauté acompanhado de uma salada de fava, ervilha torta, tomate, azeitona, vinagrete de enchova (imagem seguinte). O atum era claramente fresquíssimo e de elevada qualidade: nada seco por dentro, desfez-se deliciosamente e provocou imediatamente o paladar. Cozinhado de forma tradicional (isto é, sem quaisquer molhos elaborados ou semelhantes exageros), só ficou a ganhar. Aliás, a qualidade da carne ficaria ofuscada caso se acrescentasse algo mais, contribuindo para um desequilíbrio em termos de palatabilidade.

Estas duas demonstrações gastronómicas conquistaram-nos e, sinceramente, deixaram-nos mais do que satisfeitos: os pratos são servidos generosamente mas com conta, peso e medida. Entretanto, pedimos as sobremesas. Uma destas foi uma mousse de lima com gelado de ananás e coco crocante (link para foto), uma verdadeira guloseima para ajudar a digerir o almoço e voltar a refrescar o paladar.

A outra sobremesa foi um creme queimado de clementinas (foto abaixo), um tipo de crème brûlée e que vinha acompanhado de gelado de alecrim… sim, gelado de alecrim! Uma boa surpresa.

creme brule de mandarinas

No final da refeição ainda tivemos a sorte de tomar café com um titã da cozinha nacional e responsável pela cozinha do L’Appart. O Chef açoreano, Eddy Melo, sentou-se à nossa mesa para partilhar a sua paixão por gastronomia. Pudemos entender melhor como foi elaborada a ementa do Restaurant Week e o desafio de produzir cozinha de alto nível a preços económicos.

Com o café ainda provámos uns saborosos pastéis de nata que fariam inveja aos de Belém. Entretanto, Eddy descrevia o seu percurso pelo mundo da restauração no Canadá e a evolução da cozinha em Lisboa nos últimos anos, descrevendo em paralelo as características especiais do L’Appart.

No restaurante L’Appart descobrimos paixão e dedicação à cozinha portuguesa, tal como um staff de luxo que garantirá uma refeição tranquila. Outros pontos fortes deste restaurante, além do seu talentoso Chef, são o ambiente calmo do espaço, a elegante decoração moderna e a qualidade da atenção ao cliente por parte de todo o staff.

De assinalar um único ponto fraco em relação ao espaço, a nosso ver: a falta de uma separação concreta entre o restaurante e o resto do lobby do hotel, o que torna difícil sentir-se realmente fora desta mesma área. Uma sensação invulgar, embora se resolva facilmente ao escolher-se um lugar mais ao fundo do restaurante.

Por outro lado, o restaurante está a fazer uma grande aposta em atrair o público local e mais jovem. Apesar do hotel de luxo onde se situa, não se trata de um restaurante caro per se e a qualidade da oferta corresponde ao preço na carta. Seja como for, vão por nós… visitem-no!

Bom apetite!

Comentários

VER MAIS EXPERIÊNCIAS